Simpósio debate apadrinhamento afetivo para crianças acolhidas

Iniciativa ocorre na capital, em junho, e é voltada para profissionais da área

Viver em uma instituição de acolhimento, sem noção de como é pertencer a uma família ou sequer ter relações de afeto, é a realidade de centenas de crianças e adolescentes gaúchos. Além disso, muitos deles não têm chance ou não querem ser adotados. Para diminuir esta carência e permitir que estes jovens aprendam com padrinhos afetivos a importância dos laços de apego e da convivência, entidades organizadoras do Projeto Apadrinhar promovem diversas ações para divulgar a iniciativa – que já rendeu belos exemplos. Em 14 de junho, ocorre o 2º Simpósio Práticas em Apadrinhamento Afetivo, no Palácio da Justiça, em Porto Alegre. O evento, que dura o dia todo (das 9h às 17h30), fará os participantes refletirem sobre como o tema tem evoluído em diversas regiões do Estado e seus resultados quanto à convivência familiar e comunitária. O público-alvo são, principalmente, profissionais da rede de proteção ao menor, psicólogos, assistentes sociais, conselheiros tutelares, profissionais da área da saúde e de instituições de acolhimento, pesquisadores e estudantes. Entre os objetivos estão a uniformização dos procedimentos e a qualificação na prática de projetos de apadrinhamento. Além disso, fortalecer o diálogo entre instituições, Judiciário e sociedade civil, abrindo espaço para abordar outras demandas relativas ao assunto. A organização do simpósio é feita pela ELO – Organização de Apoio à Adoção, com apoio da Coordenadoria da Infância e Juventude do RS. Equipes técnicas do Judiciário participarão dos debates. Os ingressos custam R$ 40,00 (estudantes R$25,00) e podem ser adquiridos pelo site www.sympla.com.br, com direito a certificado de participação. Contatos pelo e-mail [email protected] Serviço 2º Simpósio Práticas em Apadrinhamento Afetivo Quando: 14 de junho Horário: das 9h às 17h30 Onde: Palácio da Justiça (Auditório 6º andar), em Porto Alegre Ingressos: R$ 40,00 – estudantes R$25,00 (Compra pelo www.sympla.com.br) Contatos: [email protected] Programação (sujeita a alteração) Mesa 1: Apadrinhamento e Adoção O entendimento dos principais atores nos casos em que o apadrinhamento evolui para adoção. Mesa 2: Apadrinhamento Afetivo após o Desligamento da Instituição Relatos e diferentes pontos de vista nos casos em que o afilhado atinge a maioridade. Mesa 3: Importância da Articulação em Rede nos Projetos de Apadrinhamento Afetivo.

Audiência Pública apresentou resultados de projetos voltados para adoção tardia | TJRS

Audiência Pública apresentou resultados de projetos voltados para adoção tardia
(Arte: Imprensa TJRS)

Uma tarde com muitos momentos de emoção. Assim foi a audiência pública realizada pela Corregedoria-Geral da Justiça, nesta sexta-feira (5/4), que apresentou os resultados dos projetos desenvolvidos para incentivar a adoção tardia ao longo dos últimos oito meses.

Conforme a Corregedora-Geral da Justiça, Desembargadora Denise Oliveira Cezar, na primeira audiência realizada em 13 de junho do ano passado, entidades da sociedade civil e instituições apresentaram uma série de propostas e críticas para a questão do acolhimento institucional. A partir de então, a Desembargadora Denise, juntamente com a Coordenadoria da Infância e Juventude de POA iniciou um trabalho de levantamento e identificação dos gargalos. Assim, diversos projetos começaram a ser desenvolvidos, entre eles, o aplicativo Adoção.

A Juíza-Corregedora Nara Cristina Neumann Cano Saraiva, responsável pela Coordenadoria da Infância e Juventude do TJRS afirmou que, além dos projetos, foram modificados fluxos de atendimento no Juizado Regional da Infância e Juventude da Comarca de Porto Alegre e ampliada a estrutura para atendimento dos casos de acolhimento social. Destacou que, atualmente, o Foro da capital conta com quatro magistrados no 2º Juizado da Infância e da Juventude, com a competência para as demandas de destituição familiar, acolhimento e adoção, o que está possibilitando maior agilidade à tramitação dos processos. Ressaltou ainda que, em 2017, na Comarca de Porto Alegre, foram registradas 48 adoções pelo Cadastro Nacional da Adoção. No ano passado, o número saltou para 91 adoções.

Audiência Pública apresentou resultados de projetos voltados para adoção tardia
Instituições e entidades ligadas à causa da adoção
conheceram projetos desenvolvidos na chamada “audiência de retorno”
(Fotos: Eduardo Nichele)

Projetos e Resultados

  • Aplicativo

A Juíza-Corregedora Nara Saraiva iniciou a apresentação dos resultados com o Aplicativo Adoção. A ferramenta possibilita que candidatos habilitados possam conhecer através de vídeos, fotos, desenhos e cartas as crianças e adolescentes aptos à adoção. Desde o lançamento, em agosto do ano passado, até o momento já são 115 manifestações de interesse, seis guardas em andamento e duas adoções concretizadas, um casal de irmãos. Eles compareceram na audiência, juntamente com os pais. A mãe deu um depoimento emocionante sobre os filhos. “É um carinho imensurável. Nossa gestação foi de 26 dias, tudo muito rápido. Agradeço de coração a todos aqueles que trabalharam neste aplicativo”, afirmou Suiany, mãe de Kauã e Kauany.

Ao final da fala, a Desembargadora Denise entregou de presente uma foto enquadrada da família.

Audiência Pública apresentou resultados de projetos voltados para adoção tardia
Primeira família a realizar adoção via aplicativo do TJRS
recebeu foto emoldurada.
Juíza-Corregedora Nara Saraiva (E) e Corregedora- Geral Denise Cezar (D),
fizeram entrega para Kauany, Suiany, Marcelo e Kauã

  • Dia Estadual do Encontro

Realizado em outubro do ano passado, o encontro reuniu pretendentes e crianças e adolescentes residentes em Porto Alegre e Região Metropolitana. A tarde lúdica contou com brincadeiras, jogos, apresentações musicais e lanches que serviram de pano de fundo para uma aproximação entre possíveis famílias. Até o momento, já são duas aproximações e cinco guardas em andamento.

  • Adote um Destino

Em parceria com o Grupo RBS, a campanha foi realizada durante a semana que antecedeu o natal de 2018 e apresentou uma série de reportagens especiais com emocionantes histórias de adolescentes que ainda sonham em ser adotados, e de famílias que já vivem essa realidade. As matérias foram ao ar no final do programa de TV RBS Notícias, exibido na faixa das 19h. Até o momento houve uma manifestação de interesse.

  • CPAAJ

O Comitê de Participação de Adolescentes Acolhidos na Justiça (CPAAJ) foi lançado em novembro do ano passado reúne, mensalmente, representantes dos adolescentes acolhidos. O objetivo é oferecer um espaço de diálogo para ouvir e acolher propostas.

Conforme a Juíza-Corregedora Nara, “com todos esses projetos, estamos resgatando a cidadania desses adolescentes”.

Novos projetos

A Coordenadoria da Infância também apresentou dois novos projetos que começaram a ser desenvolvidos a partir de março deste ano.

  • Acolher
    Visa a dar aos Juízes das Comarcas do Interior diretrizes para que a viabilização do projeto Famílias Acolhedoras.
  • Pós-Adoção
    Acompanhar pais e crianças e adolescentes após o processo de adoção. Esse é o objetivo do projeto Pós-Adoção, em parceria com a ONG ELO, que está realizando encontros de apoio, sendo que parcerias poderão ser firmadas com outras instituições e universidades.

Audiência Pública apresentou resultados de projetos voltados para adoção tardia
Conta que não fecha: perfil desejado pelos pretendentes
e crianças e jovens aptos a adoção

Conclusões

O público presente participou da audiência elogiando as iniciativas e apresentando desafios ainda a serem enfrentados, como a questão da devolução de crianças e adolescentes adotados. Também destacaram o trabalho realizado pelo Judiciário e parceiros que resultou em excelentes resultados em curto espaço de tempo.

A Juíza da Infância e Juventude de Porto Alegre, Mirtes Blum, destacou as alterações ocorridas junto ao 2º Juizado de Porto Alegre.

O Presidente do Grupo ELO de Apoio à Adoção, Peterson Rodrigues dos Santos afirmou que é necessário trabalhar a preparação e o pós-adoção. “Queremos adoções seguras e para sempre”.

A Coordenadora do Abrigo João Paulo II, de Porto Alegre, Camila Monteiro, também elogiou as iniciativas e afirmou a importância da parceria do trabalho com o Judiciário e as instituições envolvidas.

Uma das adolescentes que integram a CPAAJ, Esmeralda, participou da mesa dos debates e afirmou a importância do espaço de diálogo para escutar e ser ouvido.

A Corregedora Denise finalizou o evento agradecendo a participação de todos os envolvidos. “Nada teria sido realizado sem o apoio de todos os senhores. Todas as ideias partiram daqui.”

Também participaram do evento Juízes membros da Coordenadoria da Infância e Juventude, além de representantes do Ministério Público, OAB, Defensoria Pública, dentre outros órgãos e secretarias estaduais e entidades da sociedade civil.


EXPEDIENTE
Texto: Rafaela Souza
Assessora-Coordenadora de Imprensa: Adriana Arend
[email protected]

Fonte: Audiência Pública apresentou resultados de projetos voltados para adoção tardia | Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul

Conhecemos o Grupo para Habilitados de São Jerônimo

O juizado da Infância e Juventude de São Jerônimo realiza de quatro em quatro meses, encontros com seus habilitados que aguardam a adoção. Os encontros, promovidos pela Juíza Carla Cristina Ortnau Cirio e a assistente social judiciária Mariste Wieczorek tem por objetivo refletir as especificidades da adoção e ainda contam com convidados palestrantes. No encontro de 03 de abril, Peterson Rodrigues, pai do Lucas, um dos fundadores e atual presidente da Elo, foi o convidado, onde pode compartilhar sua história desde como conheceu seu filho até a criação e os trabalhos desenvolvidos pela Elo.

 

 

Elo chega em Araricá com o Projeto Famílias Acolhedoras

A Elo, representada pelo seu presidente, Peterson Rodrigues e a psicóloga Lizianne Cenci, reuniu-se na tarde de 1° de abril no CRAS Resplandecer com representantes da Secretaria Municipal de Assistência Social e Conselho Municipal da Criança e do Adolescente,  a fim de discutir e avançar no Projeto Família Acolhedora que está sendo implantado no município de Araricá.

As inscrições estão abertas e mais informações podem ser obtidas no CRAS Resplandecer (RUA Rudolfo Brenner – 638, Araricá).

Turma de Padrinhos Afetivos é Capacitada em Cruz Alta

A Elo mais uma vez esteve em Cruz Alta para dar continuidade nos projetos que desenvolve no município e poder judiciário. Juntamente com integrantes da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, assim como a equipe técnica do acolhimento, a equipe da Elo, representada pela coordenadora do Projeto Apadrinhar, Denise Marques e a psicóloga Tassita Medina, ministraram as oficinas de preparação dos candidatos a padrinhos e madrinhas, assim como preparam os adolescentes interessados em ser apadrinhados.

Em breve, os candidatos passarão por entrevista e logo após iniciam-se as aproximações.

 

Fique atento as alterações na Agenda do Conversando Sobre Adoção 2019

Em março retomaremos nossas atividades mensais no Conversando Sobre Adoção como de praxe, mas isso não significa que não estávamos trabalhando. Durante as férias preparamos um calendário muito especial e graças as novas parcerias e procurando contemplar um maior número de participantes, algumas alterações foram feitas.

Acompanhe abaixo nosso calendário de março e fique atento aos novos dias e locais:

Canoas

Dia 11 de Março

Horário: 19h30

Local: Universidade LaSalle (Av. VitorBarreto, 2288 – Prédio 8 – Sala 201 e 202)

Em março excepcionalmente devido o Carnaval, faremos na segunda semana, mas nos outros meses voltaremos a nos encontrar sempre na primeira segunda-feira de cada mês.

Alvorada

Dia 13 de Março

Horário: 19h30

Local: Colégio Estadual Érico Veríssimo, Auditório (R. Natal, 336 – Sumaré, Alvorada)

Fique atento, pois agora esperamos você sempre na segunda quarta-feira de cada mês.

Novo Hamburgo

Dia 18 de Março

Horário: 19h30

Local: IENH (R. Frederico Mentz, 526 – Hamburgo Velho)

Mudamos de dia! Agora esperamos você sempre na terceira segunda-feira de cada mês.

 

Gravataí

Dia 19 de Março

Horário: 19h30

Local: ULBRA Gravataí (NIP)(Avenida Itacolomi 3600 Bairro São Vicente)

Muita atenção aqui, pois o dia e local mudaram! Em 2019 mudamos de casa e agora firmamos parceria com a Ulbra Gravataí onde teremos além do Conversando sobre Adoção, um espaço especial para as crianças, o Elinho, como já acontece em outras unidades. Nossos encontros agora serão sempre na terceira terça-feira de cada mês. 

Porto Alegre

Dia 20 de Março

Horário: 19h30

Local: Escola São Francisco Menino Deus (Praça Menino Deus, 77 – Porto Alegre)

Também mudamos de dia! Agora esperamos você sempre na terceira quarta-feira de cada mês.

Cachoeirinha

Dia 29 de Março

Horário: 19h30

Local: CESUCA (R. Silvério Manoel da Silva, 160)

Continuamos esperando você e suas crianças sempre na última sexta-feira do mês.

 

 

Elo Participa do Encontro Nacional de Coordenadores de Grupos de Apoio a Adoção em MG

De 15 a 17 de fevereiro, aconteceu o Encontro de Coordenadores de Grupos de Apoio a Adoção, promovido pela Angaad em sua sede, em Uberlândia. Fora dias de aprendizado e trocas entre representantes de todas as regiões do país com o objetivo de fortalecer cada vez mais a cultura da adoção.

A Elo foi representada pelo seu presidente, Peterson Rodrigues, o diretor financeiro Rafael Maschio, a Psicóloga Tassita Medina e a coordenadora de projetos Denise Marques. 

Apadrinhar Sapucaia está com inscrições abertas

O projeto Apadrinhar chegou em Sapucaia do Sul e está com as inscrições abertas.

O projeto tem como objetivo a garantia a convivência familiar e comunitária de crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional.

Para fazer parte como padrinho ou madrinha basta:

-Ter mais de 21 anos;

-Disponibilidade de tempo e afeto;

-Não ter antecedentes criminais;

-Enviar e-mail para [email protected]

 

No dia 27 de março, as 19h30 no auditório da Escola  Vanessa Ceconet acontecerá uma grande reunião explicativa, aberta a comunidade onde todas as duvida serão esclarecidas. Todos estão convidados, o evento é aberto a todos interessados.

Na manhã de 12 de dezembro, no auditório do Ministério Publico de Sapucaia, aconteceu a apresentação do projeto Apadrinhar a rede de proteção a criança e adolescente de Sapucaia do Sul e desde então as inscrições estão abertas. O projeto segue os moldes propostos pelo TJRS e acontece através da parceria entre o Ministério Público, Município e Elo-Organização de Apoio a Adoção.

Mais informações pelo e-mail [email protected] ou pela página no Facebook  @apadrinharsapucaiars

 

 

 

Apadrinhar Cruz Alta é apresentado à comunidade.

Na noite da última sexta (7) aconteceu a audiência pública de apresentação do Apadrinhar Cruz Alta, no Salão do Juri do Forum da Comarca. A Elo esteve presente, juntamente com representantes das Instituições que compõem o grupo de trabalho responsável pelo projeto.

Compuseram a mesa, a Secretária de Desenvolvimento Social de Cruz Alta Natália Steinbrenner, a representante da UNICRUZ, Maria Lourdes, a Promotora da Infância e Juventude, Anamaria Thomaz, a Juíza da Infância e Juventude, Katiucia Brust, além de Peterson Rodrigues, Presidente da Elo que acompanhava a psicóloga Tassita Medina que apresentou detalhadamente o projeto.

O grupo de trabalho terá como responsável técnicaa assistente social Ângela Gomes, além da Coordenadora da Proteção Especial da Secretaria de Desenvolvimento Social de Cruz Alta, Alessandra Becker.

As inscrições para o projeto estão abertas até 20 de janeiro e podem ser feitas através do e-mail [email protected] ou diretamente na Secretaria de Desenvolvimento Social.

 

 

a

35 Municípios Participam do II Simpósio Práticas na Adoção

Na última sexta-feira (9), comemorando o Dia Mundial da Adoção, com realização da Elo em parceria com Clínica Horizontes e Coordenadoria da Infância e Juventude do RS, ocorreu II Simpósio Práticas na Adoção.

O evento contou com a participação de técnicos, equipes da rede de acolhimento, do judiciário, estudantes de psicologia, direito e serviço social de 35 municípios do RS. Foram momentos de compartilhamento boas práticas e de emoções.  Através de mesas que abordavam família de origem, acolhimento Institucional e Familiar, Adoções frustradas e uma mesa especial intitulada Os Protagonistas, onde filhos por adoção contaram suas histórias, o público saiu bastante emocionado e satisfeito. Confira alguns momentos:

error

Gostou?Então compartilhe :)